Dia: 17 de Nov

Câmara de Lagos aprova uma Moção pela defesa da qualidade dos serviços de saúde prestados no concelho

O Executivo municipal manifestou publicamente, na sua Reunião de Câmara de dia 17 de agosto, a sua preocupação “pela bem patente falta de qualidade na prestação de serviços de saúde que estão a ser dispensados aos utentes do Hospital de Lagos”, instituição que serve que serve igualmente os municípios de Vila do Bispo e Aljezur. A moção foi aprovada por unanimidade.
De acordo com a Presidente da Câmara, Maria Joaquina Matos, o
“direito à Saúde é, como todos sabemos, um dos direitos essenciais que a Constituição da República Portuguesa consagra e, infelizmente, a atual situação dos serviços de saúde prestados no Hospital de Lagos é cada vez mais dramática”.

Considerando esta situação a autarca propôs uma Moção pela Defesa da Qualidade dos Serviços de Saúde prestados no concelho, aprovada por unanimidade pelo executivo da Câmara Municipal de Lagos. A moção foi apresentada tendo em conta vários pressupostos, nomeadamente:

- a escala médica do Serviço de Urgência do Hospital de Lagos estar com inúmeros turnos em falta;

- existirem dias em que o Serviço de Urgência só tem um profissional (médico), sendo que é esse mesmo médico que tem de fazer, simultaneamente, o acompanhamento dos doentes internados;

- os doentes serem obrigados a aguardar várias horas para o atendimento, sendo que muitos vão-se embora à procura de outras respostas;

- que ao contrário do reforço necessário e desejável para esta área, houve uma acentuada diminuição da capacidade de resposta aos cidadãos que dela necessitam;

- que a situação que atualmente se vive em Lagos significa uma inadmissível negação do Estado no cumprimento da sua obrigação constitucional de garantir cuidados de saúde primários e de proximidade.

 Uma vez que a Câmara de Lagos defende que esta se trata de “uma situação insustentável, completamente injusta para as populações que destes serviços têm necessidade e que não se pode permitir que volte a repetir-se”, ficou decidido nesta reunião pública, por um lado, manifestar ao Governo, com conhecimento ao Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Algarve e à ARS Algarve, a preocupação do Município pela falta de qualidade da prestação de serviços de saúde que estão a ser dispensados aos utentes do Hospital de Lagos, o protesto e a não-aceitação do prosseguimento desta situação, e, por outro, exigir do Governo medidas urgentes que promovam a contratação dos profissionais de saúde necessários para colmatar o elevado número de utentes que não têm, em tempo útil, resposta nos serviços de saúde prestados no Hospital de Lagos.

Deixe um comentário

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.

voltar ao topo
×

Sign up to keep in touch!

Be the first to hear about special offers and exclusive deals from TechNews and our partners.

Check out our Privacy Policy & Terms of use
You can unsubscribe from email list at any time