Dia: 12 de dezembro

O “Dia dos Namorados” e a história real de Pedro e Carolina que viveram um amor para além da morte

O “Dia dos Namorados” trouxe, a 14 de fevereiro, através da TVI um verdadeiro hino ao amor, uma reportagem real, causadora de lágrimas, reflexão e, sobretudo o sabor e dissabores da vida

Por: João Pina com Sónia Santos

Carteira Profissional de Jornalista Nº 4 408

 

(…) ”Dizem que hoje é dia dos namorados.

Muito bem. Então hoje vou contar-vos uma história de amor. Uma história com pessoas verdadeiramente inspiradores e que nos mostra que é urgente amar, enquanto o tempo é nosso”.

Desta vida que dá outras vidas e que arrebata outras antes do tempo, do tempo em que nenhum de nós está aprontado para a despedida.

Conheci e conheço os personagens diretos deste drama trágico e romântico que parece um filme inspirado na obra de William Shakespeare, a Carolina Tendon com quem falei na véspera da partida (9 de fevereiro de 2014) e o Pedro Pinto, menino homem filósofo, músico cantor, com quem tenho estado sempre a seu lado direta ou indiretamente.

Acompanhei tudo e revivi tudo; também, a morte de um filho que partiu aos 17 anos me deixou as marcas da tragédia até ao fim dos meus dias; mas, a cerimónia da entrega das cinzas do corpo da Carolina ao mar da Praia da Rocha pelo namorado viúvo, Pedro, com mais de 2.000 pessoas trajadas de branco e de mãos cheias de flores, também, brancas, foi divinal de dores gravadas a letras funebres sem rezas pelo meio, a Carolina espediu-se em paz transportada pelo seu Pedro.

Durante mais de duas horameios os amigos e fãs despediram-se da futura médica veterinária, numa produção de homenagem, diríamos teatral, mas de lágrimas em silêncio com o Pedro e outros amigos a tributarem os anos verdes de Carolina com palavras de amor e já de saudade.

O cortejo pela praia e Cais da Praia da Rocha, com o Pedro com a caixinha das cinzas da namorada, Carolina e, os familiares mais chegados até à Fragata da Marinha Portuguesa a fim de lançarem as cinzas em direção ao alto mar, jamais me sairá das minhas memórias.

Durante um ano e meio, acompanhei de perto a edição das palavras no livro "De Mim para Mim" de Carolina. O Pedro realizou o sonho da namorada, ser escritora, foi e é, a título póstumo.

Corremos o país do sul ao norte e do norte ao sul em apresentações sublimes do livro com finais marcados de lágrimas no canto do olho nos presentes anónimos e, de´nós tristes, de choros orgulhosos por lermos as palavras da menina querida do Pedro e da sua mãe Margarida, qual mulher sofrida pela perda.

Foram tantas lágrimas e sorrisos mudos por sabermos que a Carolina qual estrela nos iluminaria no futuro.

(...) “Não fala de compras, de passeios românticos, nem de coisas. Fala de amor. Daqueles que achamos que só existem nas histórias de encantar, porque vivemos cada vez menos encantados”.

(…) “Hoje à noite no Jornal das 8, da TVI”.

(…) “Apaixonem-se. E que nunca mais digam às pessoas que amam. Não têm tempo! É tempo de amar porque amanhã seremos cinza"

(…) “Dois jovens, Pedro e Carolina. Ela morreu. Ele continua a viver com tudo o que ela ainda e sempre representa para si. Que passa pela dança, pelos sonhos, por um livro e por momentos e sensações que a TVI dá a conhecer a todos”.

(…) “Da Carolina para o Pedro, do Pedro para o mundo. Esta é a história de um amor que ultrapassou a linha da vida e nos prova que o tempo nada pode contra quem decide amar, até ao fim”.

(…) “Quando vi a imagem com a tua foto (Pedro Pinto), revivi uma lembrança do passado, uma história como a tua não há, arrepiei-me. 

(…) “Uma história de amor que nasceu em Armação de Pêra mas que pertence ao mundo”.

Por último e, também, por ser amiga dos personagens do filme da vida real, a minha Sónia, a autora do documentário, também me faz chorar a visionar a reportagem e que está a realizar o seu sonho, ser jornalista - que desde os 14/15 anos perseguiu o que hoje concretiza. Está na televisão a fazer o que aprendeu e herdando a minha vocação – parabéns – e que tão bem te iniciaste reportando o amor para além da morte com os teus e nossos Pedro e Carolina.

Finalmente, o Pedro é feliz de novo, merece, este trabalho é dele – a sua grande produção de vida.

 

Para ver o documentário da TVI clique em:  http://www.tvi24.iol.pt/videos/sociedade/pedro-e-carolina-viveram-amor-que-nem-a-morte-separou/58a36f6b0cf2b10cb66111c9

Modificado emsexta, 17 fevereiro 2017 00:53

Deixe um comentário

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.

voltar ao topo
×

Sign up to keep in touch!

Be the first to hear about special offers and exclusive deals from TechNews and our partners.

Check out our Privacy Policy & Terms of use
You can unsubscribe from email list at any time