Dia: 20 de Ago

No sábado, 8 de abril, em Armação de Pêra para provar: “É dentro de mim que o fado mora...”, diz Nádia Catarro, fadista de Monte Gordo


Nádia Catarro é, acima de tudo uma jovem mulher fadista, que tem como profissão a ação educativa com crianças, porém, é no fado que se preenche emocionalmente e sonha um dia ser uma estrela e pisar os grandes palcos dos coliseus.

Texto João Pina

Carteira Profissional de Jornalista Nº 4 408

Nádia Catarro cresceu entre as brincadeiras nas ruas de Monte Gordo e Vila Real de Santo António e a praia preferida dos alentejanos, estudou na Escola Secundária de Vila Real de Santo António e, ainda bem cedo, começou a cantar e a participar nas tertúlias fadistas, concursos de fados amadores e os primeiros contratos.

Sempre com horários a cumprir, partidas e chegadas agendadas, apressada e sem tempo para dar entrevistas, neste caso, para promover uma Noite de Fados num conhecido palco algarvio, foi dizendo ao jornalista: Em 2012 participei num concurso de fado amador em Vila Real de Santo António e fiquei em segundo lugar.Em 2013 fiquei em segundo lugar noutro concurso de fados em Vila do Bispo. Em 2015 participei no Grande Premio Nacional do Fado na Rtp1, tendo, também, alcançado o segundo lugar”.

Como é a pessoa Nádia Catarro, questionamos na esperança de «arrancar» algumas palavras à jovem, “o que define uma pessoa é aquilo que ela faz de si própria... Não há diferenças naquilo que eu sou no meu dia-a-dia e quando canto o fado à noite. O meu exterior mudo-o, dispo a bata de auxiliar de educação e passo a ter um vestido com um xaile, tiro os ténis confortáveis e calço sapatos de salto alto...completamente diferente”, frisou, acrescentando, de seguida em jeito de despachar a possível entrevista: “Estou de abalada, tenho de fazer as malas e apanhar o avião. Vou atuar na Alemanha, na cidade de Wolfsburg, para as comunidades portuguesas, no próximo dia 1 de abril de 2017, com os músicos que me acompanham desde que iniciei a vida no fado. Vai ser uma experiência que queria há muito tempo... Eis que chegou”. Afinal, como é a Nádia? “Ah! Sim! Calcei os sapatos altos e pus o xaile… O meu interior não muda, não sou outra pessoa... Sou geminiana, mas não tenho dupla personalidade... Creio que o que me define é a minha transparência - quase toda a gente entende quando gosto ou não de algo, quando não me sinto bem e quando gosto verdadeiramente daquilo que faço - Ser eu própria, é a melhor palavra para me definir...”, sublinha.

“O que canto? Canto fado de Lisboa e o que é tradicional, como lhe chamam, cantando temas de artistas de renome: Amália, Maria Armanda, Maria da Fé, entre outras... Gosto do "fado mais melancólico" porque é aquele que vem do fundo da alma. Mas tento sempre intercalar fados mais animados e intermédios”, esclarece Nádia Catarro e, quanto a atuações, adianta: “Em Portugal costumo atuar em restaurantes, festas de verão, hotéis, casas particulares e algumas típicas casa de fado na capital e entre outros espaços fadistas”.

Para quem não tinha tempo para dar entrevistas e muito atarefada com as malas para ir apanhar o avião, deixa o jornalista de gravador na mão e sem necessidade de lhe perguntarmos nada, Nádia Catarro, a jovem fadista de Monte Gordo a caminho da Alemanha, diz: “Recordações do passado são muito recentes, basta ver o meu BI, mas tenho de acrescentar que andei na escola básica de Monte Gordo onde comecei a fazer teatro de revista. E foi aí que me senti mais a vontade para mostrar aquilo que realmente gostava”, e Nádia Catarro parecendo esquecer-se do horário do embarque no avião rumo à Alemanha, sublinha: “Quero dizer que a minha terra será sempre o meu maior e melhor palco. Eu nunca vou esquecer onde e como comecei e quem sempre esteve do meu lado para me ajudar e ver realizar tudo aquilo que aos poucos tenho conquistado. Venho de uma família humilde e foi essa a educação que sempre recebi... a humildade acima de tudo”. Empolgada no seu discurso direto, conta como cantando em «Dó Maior»:

Como já referi anteriormente, participei num programa de fados na Rtp1 e com 14 anos fiz um casting para o programa da TVI "Uma canção para ti", com 16/17 anos fiz outro casting para o programa "Ídolos" na SIC e por fim no “The Voice Portugal Rtp1”. Tenho um Álbum (CD) gravado. Um trabalho editado e apresentado em 2013, primeiro ano de fado, cujo título é "Dentro de Mim". Porque é dentro de mim que o fado mora...”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Modificado emterça, 19 dezembro 2017 05:23

Deixe um comentário

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.

voltar ao topo
×

Sign up to keep in touch!

Be the first to hear about special offers and exclusive deals from TechNews and our partners.

Check out our Privacy Policy & Terms of use
You can unsubscribe from email list at any time