Dia: 15 de Nov

Porra! O quanto eu gosto deste texto. Ainda bem que encalhei nele. Digam-me se estou errado. Destaque

 Porra! O quanto eu gosto deste texto. Ainda bem que encalhei nele. Digam-me se estou errado.

Napoleão Mira in De Coração D'Interiores

O Sabor da Manhã

Gosto das manhãs e do silêncio das manhãs. Gosto do cheiro das manhãs e da luz das manhãs. Gosto das manhãs lavadas, cheirosas, mas também gosto delas ao fim-de-semana desgrenhadas, despenteadas, preguiçosas.

Gosto da manhã servida em taça de maré-alta e de caminhar na praia em cima do tapete de espuma com que as ondas demarcam a areia.

Gosto dos pensamentos ao alvorecer. Límpidos, extravagantes, fazíveis.

Gosto do cheiro do estrugido matinal que, vindo lá da cozinha do restaurante vizinho, me invade as narinas sem pedir licença.

Gosto do som matutino, sincopado, da vassoura com que a senhora da limpeza varre o solo em frente do meu local de trabalho, deixando-o imaculado, beijável mesmo.

Nesta manhã voa-se-me a vontade de estar para outras latitudes. E das terras mais a sul, passo num ápice à serenidade madrugadora da minha aldeia.

No pensamento que me invade, espreito pelo postigo a vida que lentamente se desembrulha. Os corpos acoitados erguem-se para mais uma jornada de labuta e a vida é um presente, uma dádiva, um acontecimento irrepetível, apesar de podermos pensar que ontem foi igual a hoje, e amanhã igual a sempre.

Gosto da sinfonia matinal da minha aldeia. Os primeiros passos apressados de alguém que logo, logo, se perdem na distância. As conversas de soslaio de que escuto apenas irreconhecíveis fragmentos. As primeiras badaladas do sino da igreja, diapasão por onde se afina a vida aldeã.

O inevitável galo que canta a horas desavindas, inconcebíveis, inconfiáveis. A estridente corneta do padeiro que me trás à porta a fragrância única do pão acabado de acabar de cozer.

No silêncio das alturas, entre o chão que pisamos e o azul que almejamos, passa um balão; não é do João, é a passarola do Hugo, máquina voadora, de onde se olha o mundo como os pássaros o vêem.

Lá, atrás do outeiro, cresce a olhos vistos, uma bola grávida de fogo. Ao presenciar o seu nascimento, sinto um estremecimento, uma espécie de frenesim. Uma coisa entre mim e eu. Uma forma de agradecimento interior. Uma prece ao que está para lá do meu entendimento.

O sol é que alegra o dia, pela manhã quando nasce, ai de nós o que seria, se o sol um dia faltasse. Ilustração sonora em forma de cante de uma paisagem onde o astro-rei, imponente, dominante, determina não tarda nada, o recolher obrigatório à fresquidão das casas povoadas de silêncio e escuridão.

Gosto das matinas estivais, frescas e luminosas, mas também amo as invernais com ventanias a assobiar pelas frestas e chuva a retinir no telhado.

Num passe de mágica deixo-me levar para essa frequência temporal onde a escrita se me torna mais fluída e produtiva.
Das manhãs de inverno rigoroso, gosto especialmente de acender o lume a poder de sopro de canudo. Não sei porquê, mas estas coisas dão-me mais prazer se as fizer na solidão da minha companhia.

Gosto de pensar que o canudo por onde ruborizo as brasas, pertenceu à minha avó materna, Francisca da Encarnação de seu nome e para que conste.

Gosto que este artefacto me transporte para o seu colo, lhe sinta o cheiro e lhe percorra com o meu dedo de petiz os rios de veias que lhe povoam a magreza das mãos nuas. Gosto de lhe ir buscar o cesto da meia e de me perder na destreza com que manuseia agulhas e linhas que, por artes mágicas, vão ganhando a forma de um pé.

Gosto definitivamente das manhãs borralheiras, que tal como a gata, devem regressar incógnitas ao seu território temporal quando soarem as doze badaladas do meio-dia.

Gosto das manhãs mulheres, insinuantes, provocadoras, das que retiram o til ao seu nome, como se se despissem de preconceitos ou então, das manhãs namoradeiras, de olhos feitos amêndoa e beijos a saber à noite passada.

Napoleão Mira in De Coração D'Interiores

Modificado emterça, 29 maio 2018 16:33

Deixe um comentário

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.

voltar ao topo
×

Sign up to keep in touch!

Be the first to hear about special offers and exclusive deals from TechNews and our partners.

Check out our Privacy Policy & Terms of use
You can unsubscribe from email list at any time