Dia: 24 de Abr
  • Zen Online
Cultura

Cultura (38)

Abril em Faro: Pensar Abril, Viver Abril com Afonso Dias

Comemorações do 44º aniversário do 25 de Abril

Faro assume, neste ano de 2018, um papel respeitoso e didático da memória de Abril de 1974. Mais do que os solenes cerimoniais, as manifestações desportivas e os costumeiros espetáculos, Faro quis alargar de modo significante e digno a evocação de Abril e da sua nobre memória.

Desde logo, a comissão de organização das comemorações, cuja curadoria é assegurada pelo cantor, poeta e deputado constituinte, Afonso Dias, decidiu envolver as escolas do concelho, realizando um “25 de Abril pequenino”, em formato de história musicada e um grande número de recitais sobre a “Constituição de 1976 – a Liberdade na lei”, mas também com a realização de um conjunto de colóquios que trazem à cidade capital figuras maiores da Resistência, da Cultura, dos Militares de Abril.

Efetivamente, por aqui passarão, em ocasiões diversas, figuras como: Teresa Rita Lopes numa homenagem que a sua cidade lhe presta, acompanhada por Carina Infante do Carmo da UAlg e Fernanda Guerra da Casa Álvaro de Campos, (6 de Abril, 18h00, Biblioteca Municipal de Faro); Rui Pato e Francisco Fanhais a evocarem José Afonso, que aqui viveu e ensinou durante cinco anos (IPDJ, 16 de Abril, 18h00); Francisco George, Irene Flunser Pimentel, António Pina e Carreira Marques, que nos falarão das conquistas que Abril e a Constituição possibilitaram nos domínios do Poder Local, da Saúde, da Educação, do usufruto da Liberdade (Paços do Município, 10 de Abril, 18h30). E aqui estarão, ainda, o estratega operacional da Revolução, Otelo Saraiva de Carvalho e os também militares de Abril, Martins Guerreiro e Rosado Luz, todos membros integrantes do grupo que encabeçou o momento libertador de Abril de 1974 (Quartel da GNR, 13 de Abril, 18h30).

Mas “Abril em Faro” trará ainda diversas exposições temáticas, espetáculos e outras manifestações na cidade e em todas as freguesias.

Ler mais ...

São-brasenses a sair “fora da caixa” na Biblioteca Municipal

Sensibilizar adultos, crianças e jovens para as artes do espetáculo é o objetivo do novo projeto “Fora da Caixa” que a Biblioteca Municipal Dr. Estanco Louro lançou este sábado, 10 de março.

O projeto está a ser desenvolvido por quatro jovens são-brasenses que se encontram a frequentar o curso de Artes do Espetáculo da Escola Secundária Tomás Cabreira e que estão a desenvolver o seu projeto de estágio na Biblioteca são-brasense.

As sessões do “Fora da Caixa” terão lugar todos os sábados à tarde até julho de 2018, a partir das 15h30, desenvolvendo o movimento, a voz, a postura corporal, a comunicação, entre outros temas.

Durante o mês de março, os participantes podem ainda participar em sessões sobre a industrialização do movimento, no dia 17, e memória sensorial, no dia 24. Seguir-se-ão outros temas nos próximos meses.

Estas atividades são de participação gratuita mas carecem de inscrição que pode ser efetuada diretamente na Biblioteca Municipal ou através dos contactos: 289 840 360 e Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..

O projeto inclui ainda a “Oficina de Teatro” que procura sensibilizar para as artes do espetáculo, para a reflexão crítica teatral e permitir ao público aumentar a fruição do teatro.

A Oficina de Teatro vai realizar-se todas as terças-feiras, entre as 15h30 e as 18h30 e visa dar a conhecer técnicas, funções e profissões ligadas à área do teatro. Os participantes vão co-criar uma produção que será apresentada no final do projeto.

Esta oficina é dirigida a professores, educadores de infância e ao público em geral, de todas as idades.

Iniciativas que dinamizam a Biblioteca Municipal e que proporcionam aprendizagens diferentes sobre o mundo do espetáculo, com particular enfâse param o teatro.

Ler mais ...

CAVEMAN A comédia sobre Homens e Mulheres que fez história na Broadway a Caveman | A comédia sobre Homens e Mulheres - Sábado 21:30 · Auditório Municipal de Lagoa

Caveman detém o recorde como o monólogo com mais tempo em cena na história da Broadway. É também já afirmadamente uma força mundial que conquistou os corações de milhões e que vai com certeza conquistar também o seu. Caveman já foi visto em 45 países e traduzido para 18 idiomas diferentes (e continua a somar!).

Sendo uma peça astutamente hilariante sobre as várias formas como homens e mulheres se relacionam, Caveman provoca a ambos os sexos uma identificação constante com os seus conteúdos e consequentes ruidosas gargalhadas. Acenos afectuosos entre membros do público ocorrem com regularidade durante o espectáculo à medida que se revêm nas histórias que são contadas no palco.

Caveman, faz-nos rir de nós próprios sobre todas as formas como homens e mulheres discutem, riem e amam. Por essa razão, casais por todo o mundo se apaixonaram pelo Caveman.

A popular comédia Caveman foi escrita por Rob Becker ao longo de um período de 3 anos durante o qual ele realizou um estudo sobre antropologia, pré-história, psicologia, sociologia e mitologia. Caveman tem sido desde tal uma ferramenta para alcançar a paz nos constantes mal-entendidos entre homens e mulheres.

Desde então, Caveman tem estado em digressão em salas por todo o mundo.

Em Portugal estreou com grande sucesso em 2009 e volta agora aos palcos para ver ou rever.

Texto: Rob Becker / Encenação: António Pires / Tradução: Felipa Mourato / Cenografia: Artur Pinheiro Produção: Força de Produção com o apoio Ready to Shoot

Interpretação: JORGE MOURATO

Bilhetes disponíveis em http://bit.ly/2A5hQHX | Auditório Municipal de Lagoa . 282 380 452 | Convento de S. José . 282 380 434 | Balcão Único CML | WORTEN | FNAC

Ler mais ...

“Alfaiate” de Helena Tapadinhas vence Prémio Literário Santos Stockler/2017

O Prémio Literário Santos Stockler é uma iniciativa do Município de Lagoa, cuja entrega dos prémios se inscreve este ano no programa das Comemorações dos 245 anos da criação deste concelho.

Após avaliação dos trabalhos concorrentes ao Prémio Literário Santos Stockler/2017, o Júri deliberou, em reunião de 12 de janeiro 2018, distinguir o conto “Alfaiate” de Helena Tapadinhas.

Esta decisão, tomada por unanimidade, foi justificada pelo Júri nos seguintes termos: “o conto reúne todas as qualidades previstas nos critérios, expressa uma notável capacidade de fixação literária de um património imaterial do concelho e revela uma profundidade que lhe confere uma evidente universalidade”.

O Prémio consta do valor pecuniário de 10.000,00€ a que se junta a publicação do trabalho.

Para além da primeira distinção, o mesmo Júri deliberou ainda atribuir 6 Menções Honrosas aos contos: “Camaleão”, de Ana Maria Nunes Gonçalves; “A casa de Verão”, de Isabel Rio Novo; “A vida inteira num prato de barro, de Carla Marisa P. Vieira Pais; “Nepomuceno na terra dos possíveis”, de David Eduardo V. Roque; “Memórias fugazes”, de Paulo M. Morais e “Da permanência, de António Conduto Oliveira.

O Prémio Literário Santos Stockler foi instituído em pelo Município de Lagoa em 2016 com o objetivo de promover, defender e valorizar a Língua Portuguesa e a identidade e diversidade socio culturais do concelho; promover e incentivar a criação literária, o gosto pela escrita e pela leitura, e, ainda, homenagear o poeta, jornalista e romancista lagoense, Santos Stockler.

A Cerimónia de Entrega destes Prémios, realiza-se no dia 27 de janeiro 2018, na Quinta dos Vales às 15H:30. Na mesma oportunidade terá lugar a apresentação pública do livro que integra as duas Menções Honrosas atribuídas no Prémio de 2016. Será ainda apresentada a 3.ª edição do Prémio Santos Stockler 2018/19.

Ler mais ...

Coro dos Amigos do Museu no “Música nas Igrejas” em Tavira

Coro dos Amigos do Museu no “Música nas Igrejas” integrado no ciclo “Música nas Igrejas” tem lugar, no dia 13 de janeiro, pelas 18h00, na Igreja da Misericórdia, o concerto com o Coro dos Amigos do Museu.

Este foi fundado pelo maestro Valter Sulzer, em março de 2006, com um núcleo inicial de cinco mulheres. No entanto o objetivo da sua criação visava a formação de um coro misto capaz de interpretar música polifónica da Renascença e do Barroco. Atualmente, o coro tem cerca de 45 coralistas de diversas nacionalidades, nomeadamente, alemã, escocesa, holandesa, inglesa, japonesa, norueguesa, portuguesa, russa, sueca e suíça.

Dada a proveniência dos seus membros, o Coro dos Amigos do Museu canta música sacra e profana da Renascença, do Barroco, do Romantismo e contemporânea, assim como música popular portuguesa.

O “Música nas Igrejas” visa dinamizar o património edificado, bem como promover o gosto pela música. Os concertos ocorrem todos os sábados e destinam-se ao público em geral.

Mais informações em http://www.academiamusicatavira.net

Ler mais ...

Biblioteca Municipal de Faro António Ramos Rosas abre com salas requalificadas

A Biblioteca Municipal de Faro António Ramos Rosa irá reabrir já no início da próxima semana, dia 8 de janeiro, no horário habitual de segunda-feira, às 14h00, após um período de encerramento para obras que teve início no passado dia 15 de novembro.

Depois de um intenso trabalho de limpeza, higienização e recolocação das coleções nas estantes, por parte de toda a equipa da Biblioteca, milhares de títulos voltam a estar disponíveis para serem lidos e consultados, num espaço requalificado com a conservação e manutenção do pavimento de madeira nas salas.

Recorde-se que as obras de substituição e melhoramento do pavimento das salas representaram um investimento de 15.515,22 euros (IVA incluído) e exigiram a completa libertação do espaço do primeiro piso.

Inaugurado há 17 anos e registando atualmente 21433 leitores inscritos e cerca de 335 visitantes diários, o edifício da Biblioteca é já um equipamento cultural e pedagógico central para a Região, merecendo a maior atenção por parte do Município. Com esta empreitada, a Câmara Municipal pretende continuar a prestar serviços de qualidade, garantindo a satisfação de quem visita a Biblioteca Municipal.

Com uma programação educativa e cultural diversificada para conhecer, a Câmara Municipal e a equipa da Biblioteca Municipal dá-lhe as boas vindas a 2018.

Ler mais ...

Portimão canta as “Janeiras” com forte movimento associativo

No dia 6 de janeiro, pelas 21h00, a Alameda da Praça da República vai ser palco da quarta edição do “Cantar das Janeiras” com um leque variado de grupos de cantares. A apresentação ficará a cargo da locutora, Fátima Peres.

Portimão convida a comunidade a participar neste encontro para ouvir, cantar e celebrar o Cântico das Janeiras e dos Reis num ambiente de boa disposição e alegria. O serão terminará com o sabor a Bolo-Rei e a Jeropiga, tal como a tradição dita, ficando assim registado um momento festivo e de excelência oferecido pelos cantadores.

A 4ª edição de “Cantar das Janeiras” conta com a participação de seis grupos do concelho de Portimão e dos concelhos vizinhos. É sempre importante preservar as tradições e manter vivo o movimento associativo, através dos grupos presentes que utilizarão a sua voz, mas também as violas, os instrumentos de percussão e de cordas. São eles, as Estrelas do Barlavento - o Grupo de Cantares de Música Tradicional Portuguesa, o Grupo Coral Adágio, o Grupo Coral do Centro de Convívio de Alvor ACRA 1º Dezembro, o Grupo de Janeiras da Associação Cantares do Parchal, o Grupo de Cantares do Instituto de Cultura de Portimão e a Associação Grupo Coral de Portimão.

Na ocasião será servido Bolo-Rei e a Jeropiga, tal como a tradição dita, ficando assim registado um momento festivo e de excelência oferecido pelos cantadores.

A 4ª edição do “Cantar as Janeiras” é organizado pela Câmara Municipal de Portimão e tem o patrocínio da cadeia de supermercados Pingo Doce que oferece o Bolo-rei.

Ler mais ...

Jazz nas Adegas regressa com dois concertos em janeiro

Os dois primeiros concertos da edição de 2018 do Jazz nas Adegas trarão a Silves os grupos Low Tech Groove (que atuará a 13 de janeiro, na Quinta João Clara, em Alcantarilha) e o quarteto Jazz à Capela (que se apresentará no Convento do Paraíso, Silves, a 20 de janeiro).

A primeira sessão está agendada para o dia 13 de janeiro, com inicio pelas 21h00, na Quinta João Clara (Alcantarilha) e contará com o grupo Low Tech Groove. Esta Quinta começou a laborar em 1975, quando João Clara a adquiriu e plantou a sua primeira vinha. Com 28 hectares, tem na vitivinicultura a sua principal atividade e é seu enólogo António Maçanita e Júlio Antão o artista plástico que criou a imagem de marca João Clara: uma chaminé algarvia. Atualmente, a Quinta João Clara é dirigida por Edite Alves e as suas filhas Ana e Joana Alves.

O virtuoso músico algarvio, André Capela, preparou com o seu quarteto (André Capela, saxofones, flauta e guitarra; Cathy Santos, voz; Vasco Ramalho, vibrafone, marimba e percussão e Bruno Vítor, contrabaixo e percussão) um conjunto de composições muito groove, com ritmo e uma presença impar no relacionamento com o público. Atuarão no Convento do Paraíso - Quinta de Mata-Mouros, localizada em Silves, na margem esquerda do rio Arade. Com 120 hectares, esta quinta deve o seu nome à abundância de vegetação e de nascentes de água doce, bem como a ter sido porto de chegada dos navegadores mouros. Após a reconquista cristã, ali foi construído o convento de Nª Srª do Paraíso (sécs. XIII e XV), que ainda conserva a sua estrutura principal. Desde 2012 o projeto “Convento do Paraíso”, uma parceria entre a família Pereira Coutinho (proprietária da Mata-Mouros) e a família Soares, permite a produção de várias gamas de vinhos.

As restantes sessões do Jazz nas Adegas terão lugar nos seguintes dias/locais e com os seguintes artistas, sempre às 21h00:

  • 10 fevereiro -  Chustinatra, na Quinta do Francês, Silves
  • 24 fevereiro - Power Trio, na Quinta do Barradas, Silves
  • 10 março - P.L.I.N.T, na Quinta do Barranco Longo, Algoz
  • 17 março - Badalo Quarteto, na Quinta da Vinha, Silves
  • 07 abril - Alexandre Dahmen Trio, na Quinta do Outeiro, Silves
  • 14-abril - Yanina Mantuano, na Quinta da Malaca, Pêra

Quem desejar participar deve obrigatoriamente efetuar reserva, tendo o ingresso, para cada sessão, o custo de 10,00€ (inclui, para além do concerto, prova de vinhos do produtor, voucher de visita ao Castelo e Museu Municipal de Arqueologia e a oferta de uma garrafa de vinho). O período de reservas inicia-se um mês antes da data da sessão. O evento destina-se a maiores de 18 anos.

Recordamos que a segunda edição do Jazz nas Adegas é organizada pela Câmara Municipal de Silves e integra, mais uma vez, a programação cultural 365 Algarve. O Ginásio Clube de Faro assegura a contratação dos artistas, reunindo um conjunto de formações artísticas que valorizarão esta atividade.

A edição de 2018 terá oito sessões, que de janeiro a abril se realizarão duas vezes por mês, passando pelas adegas de quase todos os produtores dos VINHOS DE SILVES (marca própria do Município). Esta iniciativa pretende dinamizar culturalmente os locais onde se produzem os Vinhos de Silves, numa simbiose entre o vinho, o seu produtor e a música, proporcionando uma experiência única ao público, em locais pouco usuais para a apresentação de um concerto de Jazz.

+ Info e reservas: Sector de Turismo da CMS | tel.: 282 440 800 | email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.; Quem efetuar reservas deverá chegar meia hora antes da hora de início da atividade para levantar o seu bilhete.

Ler mais ...

Orquestra Clássica do Sul na Igreja de Messines

 

A Orquestra Clássica do Sul (OCS) regressará no próximo dia 9 de dezembro, pelas 21h00, à Igreja de SB de Messines onde interpretará um concerto de música de Câmara. A iniciativa é promovida pela Câmara Municipal de Silves (CMS) em parceria com a OCS.

Interpretado por um agrupamento de câmara composto por Stefania Bernardi (flauta), Eun-Hee Sohn (oboé), Laurentiu Simões (violino), Ângela Silva (viola) e Mikhail Shumov (violoncelo), o concerto incluirá no seu programa obras de Bach, Mozart, Haydn e Süssmayr.

A entrada tem um custo associado de 5 € e o telefone 282 440 856 e o endereço de correio eletrónico Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. são os contactos do Sector de Cultura da CMS para o fornecimento de informações adicionais sobre o evento.

Ler mais ...

Pintura a óleo de Francisca Sebastião em exposição no Convento de São José, em Lagoa até ao dia 12 de Dezembro

A pintora autodediata, Francisca Sebastião, nascida em Monchique e a residir em Lagoa, onde, aliás, expôs pela primeira vez no Fatacil em 1988 e, desde essa data já realizou outras exposições pelo Algarve e tem quadros seus espalhados pelo mundo, sendo que, a presente exposição de pintura a óleo sobre tela vai estar patente até 12 de Dezembro no Convento de São José, em Lagoa.

João Pina

Carteira Profissional de Jornalista Nº 4 408

Francisca Sebastião referiu que esta exposição teve a inspiração num sentido solidário “No dia 8 Setembro do corrente ano, não se via o sol envolto pelo fumo. As cinzas caiam-nos em cima e, por toda a parte, o calor do fogo era uma bola imensa e rubra. Sabíamos que os sítios de Senhora do Verde, Montes de Cima e Alcalar, toda a zona era um inferno de chamas e labaredas, que lambiam tudo o que encontravam pelo caminho”, adiantando, ainda: “Na tarde desse dia, o meu marido chegou a casa e disse que os bombeiros tinham feito um apelo, pedindo meias de algodão e creme. Ele, acabando de dizer estas palavras, irrompeu num pranto. E eu também. Bravos homens e mulheres que, desprezando a própria vida, lutavam em prol das vidas alheias, que por vezes por elas davam a vida. Senti dentro de mim uma desmedida vontade de ajudar estes guerreiros, mas não sabia bem como”.

Acompanhando o seu raciocínio daquela tarde, recordamos as suas palavras: “De repente fez-se luz. Naquele momento eu sabia já a forma de dar alguma coisa aos bombeiros. De poder ajudar quem tanto ajuda. Sou pintora autodidata. Deu-me Deus a graça de poder pintar e, nesse instante de realização, surgiu na minha mente aquilo que agora se materializa em realidade: uma exposição de pintura. Para culminar, a minha missão seria fazer com que cada cêntimo, cada euro, de cada quadro vendido revertesse inteiramente para os bombeiros de Lagoa”.

É neste contexto que, além da qualidade dos 28 quadros em exposição e cujos custos vão desde 40 euros a 80 euros, revertendo, como já é sabido - as receitas da venda dos quadros vão para os Bombeiros Voluntários de Lagoa – pelo que o Algarve Mais Notícias publica apenas alguns quadros de Francisca Sebastião. 

Ler mais ...
Assinar este feed RSS
×

Sign up to keep in touch!

Be the first to hear about special offers and exclusive deals from TechNews and our partners.

Check out our Privacy Policy & Terms of use
You can unsubscribe from email list at any time