Dia: 19 de janeiro

Itens filtrados por data: quarta, 10 janeiro 2018

Sociedade Recreativa Artística Farense reconhecida como entidade de interesse histórico e cultural

Nos seus 111 anos de existência, esta associação contribuiu para o enriquecimento do tecido cultural do Município de Faro, facto reconhecido pela Câmara Municipal que lhe atribuiu no ano do seu centenário (2006) a Medalha de Mérito Municipal – Grau Ouro

Foi aprovado, no dia 8 de Janeiro, por unanimidade em Reunião de Câmara o reconhecimento da Sociedade Recreativa Artística Farense (SRAF) como entidade de interesse histórico e cultural, após requerimento apresentado por aquela associação. A decisão de reconhecimento está agora sujeita a um período de consulta pública pelo período de 20 dias.

Recorde-se que a publicação da Lei n.º 42/2017, de 14 de junho, com base na qual a associação assenta o seu pedido, veio estabelecer o regime de reconhecimento e proteção de estabelecimentos e entidades de interesse histórico e cultural ou social local. Após análise efetuada pela autarquia, verificou-se o cumprimento dos critérios previstos na referida lei, tornando a Sociedade Recreativa Artística Farense merecedora do referido estatuto.

Uma das coletividades mais tradicionais do concelho, fundada em 1906, a SRAF constitui-se como um local único em Faro, tanto na vertente de programação de atividades culturais e recreativas como na manutenção de uma identidade transversal às componentes histórica, cultural e social. A sua fundação está ligada ao Montepio dos Artistas de Faro, existente desde 1856. Esta associação prestava diversos serviços sociais e de solidariedade, tais como assistência médica a preços económicos, pensões de morte e invalidez. Em 1906, o Montepio dos Artistas sentiu necessidade de proporcionar aos seus associados outras atividades ligadas à cultura e ao recreio, fundando então a Sociedade Recreativa Artística Farense, cedendo-lhes parte das instalações (1º andar do n.º 10 da Rua do Montepio). Tornou-se, assim, o palco para eventos de teatro, canto, dança, música, literatura e cinema. Para além destas, sempre se organizaram festas, convívios e reuniões sociais neste espaço. Reunia artesãos e artífices do concelho e tinha uma vertente eminentemente popular, em contraponto aos mais exclusivos Club Farense e Ginásio Clube de Faro.

Nos seus 111 anos de existência, esta associação contribuiu para o enriquecimento do tecido cultural do Município de Faro, facto reconhecido pela Câmara Municipal que lhe atribuiu no ano do seu centenário (2006) a Medalha de Mérito Municipal – Grau Ouro.

A SRAF, declarada pessoa coletiva de utilidade pública em 25 de junho de 2010, é uma associação cultural e recreativa que se distingue pelo seu dinamismo, tendo atividade contínua em diversos domínios: artes performativas, exposições, cinema, conferências, workshops, aulas de dança, entre outros. A participação nas atividades é elevada, abrangendo sócios e não sócios. Tem sabido inovar e introduzir alguma irreverência na sua orientação cultural, a qual goza de um elevado acolhimento junto do público jovem. A sua existência constitui uma referência local, fazendo parte dos hábitos de fruição de atividades culturais e recreativas de Faro e dos seus visitantes. É também um muito apreciado local de convívio e tertúlia.

Saliente-se que a Câmara Municipal de Faro tem, para com as diversas entidades culturais que operam no concelho, o reconhecimento pleno da sua importância, consoante a especificidade da sua ação, para a dinâmica da oferta cultural existente no concelho.

 

  • Publicado em Cultura
Ler mais ...

Corrupção de funcionário da Câmara Municipal de Olhão. Detenção e buscas pelo MP do DIAP de Faro

(…) “No âmbito de um inquérito dirigido pelo Ministério Público da 2ª Secção de Faro do DIAP foi hoje detido um técnico superior da secção de obras particulares da Câmara Municipal de Olhão, por suspeitas da prática de crimes de corrupção passiva” (…)

Ao abrigo do disposto no art. 86º, nº 13, alínea b) do Código de Processo Penal, informa-se que: No âmbito de um inquérito dirigido pelo Ministério Público da 2ª Secção de Faro do DIAP foi hoje detido um técnico superior da secção de obras particulares da Câmara Municipal de Olhão, por suspeitas da prática de crimes de corrupção passiva. Há suspeitas de o detido, na sua qualidade de funcionário público autárquico,  ter solicitado quantias monetárias a particulares para pareceres técnicos contrários à lei mas favoráveis ao licenciamento de obras.

O detido será apresentado no prazo de 48 horas ao juiz de instrução criminal de Faro para realização de primeiro interrogatório judicial e para aplicação de medidas de coação.

No âmbito da investigação foram realizadas também no dia de hoje buscas domiciliária e ao local de trabalho do arguido  na referida câmara municipal.

O Ministério Público é coadjuvado na investigação pela Diretoria do Sul da Polícia Judiciária.

O inquérito está submetido a segredo de justiça e em 12.01.2018 e ao abrigo do disposto no art. 86º, nº 13, alínea b) do Código de Processo Penal, informa-se que:

Após interrogatório judicial, o funcionário da Câmara Municiopal de Olhão detido esta quarta-feira por suspeitas da prática de crimes de corrupção ficou submetido às seguintes medidas de coação : suspensão  do exercício de funções na Câmara Municipal de Olhão, proibição de exercício da atividade profissional de engenheiro civil, proibição de frequência das instalações da referida câmara e proibição de contactos com testemunhas e outros arguidos. 

O inquérito prosseguirá os seus termos sob a direção do MP da 2ª secção de Faro do DIAP, com a investigação a cargo da Diretoria do Sul da Polícia Judiciária.

 

Ler mais ...

“O Centeno pediu bilhetes para a ir à Bola ou foi convidado pela direcção do Benfica a assistir a um jogo de futebol? (…)”, pergunta Paulo Leote e Brito no seu “Dez à hora”

“Tal como o porreiraço do primeiro-ministro não pode dizer que se Centeno "pediu era porque certamente tinha boas razões para o fazer". 

Paulo Leote e Brito

1 - O Centeno pediu bilhetes para a ir à Bola ou foi convidado pela direcção do Benfica a assistir a um jogo de futebol?
2 - Se pediu, pediu a quem, à secretária "Oh Balsemina, arranje-me lá uns bilhetes que me apetece ir ver o Benfica" e a rapariga viu-se aflita para os arranjar e ou comprava no mercado negro ou pedia a alguém do Benfica.
3 - Ou o ministro ligou directamente para o presidente do Benfica provavelmente porque já o conhece desde os tempos em que ia meter pneus novos no carro.
4 - Parece-me cordial que os clubes convidem alguns governantes a assistir a um jogo. Presidente da CM Lisboa, presidente da república, primeiro-ministro, presidente da assembleia, presidente da junta de freguesia e de repente não me lembro de mais ninguém "convidável".
5 - Há muitos anos, esta história passa-se logo a seguir à revolução, havia uma porta no estádio da Luz por onde entravam todos os que tinham algum cartão que lhes desse acesso livre ao estádio.
6 - Estava na fila para entrar, era um derby isso também me lembro, quando oiço um senhor que estava à minha frente a esclarecer o sempre feroz porteiro "Eu sou ministro!" Eu sou ministro!" "Eu sou ministro!". Lá entrou o ministro, com o porteiro com cara de não o conhecer de lago algum, mas a não querer arranjar problema caso o homem fosse mesmo ministro. E era, era o Vítor Alves e não me parece que fosse dos medíocres, antes pelo contrário. 
7- Na mesma porta, uns anos mais tarde vi o Coluna a ser barrado na mesma porta, já era homenzinho e não me contive "mas o senhor não vê que é o senhor Coluna?", meio atarantado, o porteiro só repetia que não tinha creditação e ele não tinha ordens para deixar quem não a tivesse. Alguém que também o reconheceu levou-o para a porta por onde entravam os jogadores e lá as coisas ganharam rumo mais digno para a velha glória benfiquista.
8 - Estas duas histórias, talvez com 15 anos de diferença a que se soma esta do ministro das finanças a pedinchar uma borla ao presidente do Benfica merecem-me bastante reflexão.
9 - A primeira é que os tempos mudaram, e definitivamente, vivemos a época da pouca-vergonha instalada e é altura de relembrar que "à mulher de César não basta ser honesta, tem também de o parecer". Tal como o porreiraço do primeiro-ministro não pode dizer que se Centeno "pediu era porque certamente tinha boas razões para o fazer". 
10 - Incomoda-me a invasão de privacidade, mas também sou da opinião de que havendo interesses superiores se deve denunciar punindo quem deve ser punido. Porque se houve vantagens tiradas nesta ligação, pelo filho do presidente do Benfica então temos de saber a verdade. E já agora saber a razão do perdão à Brisa, EDP, Galp e sabe-se lá mais quem.

(…) “Propunha para avaliação, para além do Sócrates, o Arménio da CGTP mais o do Sindicato dos professores” (…).

1 - Se existissem exames psiquiátricos para determinar e avaliar a possibilidade de algumas pessoas poderem desempenhar tarefas como as de primeiro-ministro ou treinador de futebol desconfio que havia alguns partidos e clubes de futebol que teriam de procurar outros líderes.
2 - Nos Estados Unidos da América vários especialistas são convidados a dar opinião ou até mesmo a escreverem diagnósticos sobre o presidente Trump.
3 - Tenho duas perspectivas antagónicas, uma que me leva a pensar sobre por que raios de ética se regulam os cientistas que concluem que Trump sofre de um transtorno de personalidade conhecido por narcisismo. A outra é que têm toda a razão.
4 - Há muito que pergunto no meu restrito círculo de amigos o porquê de nenhum órgão de comunicação social se ter lembrado de convidar psiquiatras a comentar a personalidade evidentemente transtornada de, por exemplo, José Sócrates.
5 - Ou será que a Ordem não lhes permite fazer diagnósticos públicos.
6 - Se assim for muito bem, mas que fariam um excelente e útil serviço público não tenho nenhuma dúvida.
7- Contudo, nos tempos em que ainda via televisão, ouvi um médico especialista avançar, cautelosamente diga-se. Com um diagnóstico sobre um suspeito de vários assassinatos.
8 - Garanto que voltava a ver televisão se um especialista em psiquiatria fosse convidado por uma televisão e aceitasse, claro, para fazer avaliações de carácter e diagnósticos sobre algumas figuras públicas que intoxicam a vida pública deste país de... Loucos!
9 - Propunha para avaliação, para além do Sócrates, o Arménio da CGTP mais o do Sindicato dos professores, o Duarte Lima, o Salgado, o Zenial Bava, o Bruno de Carvalho, o Sérgio Conceição, o merdas do Quadros, o Castelo Branco e mais uma mão cheia que me escuso de nomear.
10 - De fora deixei os casos de óbvia senilidade ou simples estupidez. Sejam livres de apresentar mais nomes e tentem não confundir pessoas sérias e honestas imbuídas de valores em desuso com(o) pessoas com transtornos de personalidade.

Ler mais ...
Assinar este feed RSS
×

Sign up to keep in touch!

Be the first to hear about special offers and exclusive deals from TechNews and our partners.

Check out our Privacy Policy & Terms of use
You can unsubscribe from email list at any time