Dia: 15 de Set

Itens filtrados por data: quinta, 06 junho 2019

PRIMEIRA EDIÇÃO DO AÇOTEIA - FARO ROOFTOP FESTIVAL

Arte, sustentabilidade e comunidade a outro nível

É já este mês, nos próximos dias 20, 21 e 22 de Junho que acontece o AÇOTEIA - Faro Rooftop Festival, um evento cultural pioneiro em Portugal, que terá como palco dezenas de Açoteias da cidade e cujo programa abordará três grandes vertentes: arte, sustentabilidade e comunidade.

A programação promete ser muito variada, oferecendo música, dança, performances, cinema, exposições, teatro e actividades para famílias entre outras. Embora toda a programação ainda não esteja acessível, são já conhecidas algumas Açoteias que decerto vão cativar a curiosidade do público. No Mercado Municipal de Faro irá nascer uma Horta Urbana, com diversos workshops a acontecer nos dias do festival que visam dar a conhecer este projecto que será para manter após o término do Açoteia, através da exploração pela Associação Algarvia de Pais e Amigos das Crianças Diminuídas Mentais. As açoteias da Ermida de Santo António prometem ser outro ponto a não perder durante o festival, não só para conhecer o magnífico espaço, bem como as histórias e estórias das gentes daquele lugar. A açoteia da Biblioteca de Faro também ganhará vida e letras nos dias do festival e ainda os espaços comerciais como o Hotel Faro, Hotel Eva e Lab Terrace oferecem uma programação especial, destacando a música neste último com a apresentação de um projecto de Galopim e Pau Alabajos de Barcelona.

Depois da Realização do 1º Encontro Europeu de Rooftops que teve lugar em Janeiro e que reuniu um conjunto de pessoas de Faro e do Algarve, bem como responsáveis por festivais de rooftops noutras cidades da Europa; a Câmara Municipal de Faro lança agora um novo desafio para redescobrir as Açoteias da cidade, outrora usadas para a secagem de frutos, a coleta de água da chuva ou para convívio das vizinhas: “As Açoteias fazem parte de uma cultura do Sul e os seus usos foram diversos ao longo dos tempos, contudo as novas dinâmicas da vida urbana fizeram com que as Açoteias perdessem estes usos. Nos dias de hoje, cidades de todo o mundo procuram soluções ambientalmente responsáveis e energeticamente sustentáveis para estes espaços e este é também o objectivo do Açoteia, levar os cidadãos a olharem para as açoteias do ponto de vista da sua potencialidade cultural.” - conta Paulo Santos, Vice Presidente da Autarquia de Faro com o Pelouro da Cultura.

Brevemente toda a programação do Açoteia - Faro Rooftop Festival estará disponível online no site e redes sociais oficiais do evento, bem como a venda de bilhetes que terá um preço especial considerando que se trata da primeira edição.

  • Publicado em Faro
Ler mais ...

JSD Albufeira apresenta Programa de Arrendamento Jovem Albufeira ao Executivo da Câmara Municipal de Albufeir


A JSD Albufeira apresentou ao Executivo da Câmara Municipal de Albufeira no dia 5 de Junho, o documento do Programa de Arrendamento Jovem Albufeira, que contem um conjunto de propostas que visam combater as dificuldades sentidas pelos jovens Albufeirenses nos dias de hoje e nesta área em concreto.

Os Jovens Social Democratas Albufeirenses, consideram que o Programa de Arrendamento Jovem Albufeira contem um leque de propostas ambiciosas, que estão direcionadas para os dois intervenientes que consideramos essenciais: o proprietário do imóvel e o jovem que pretende arrendar. Referem ainda que “houve a necessidade de satisfazer as necessidades destes dois intervenientes principais, sendo que os objetivos deste programa são claros, e vão no sentido de aumentar a oferta de imóveis com relação preço-qualidade adequada à capacidade dos jovens e com contratos arrendamento anuais, proporcionar uma redução do valor das rendas dos imóveis no concelho de Albufeira beneficiando o jovem arrendatário e por fim, olhando também para o lado do proprietário, permitir que este saia valorizado neste processo, ao disponibilizar os seus imóveis para a celebração de contratos anuais de arrendamento, usufruindo de benefícios fiscais que permitam contrabalançar o menor lucro, que está associado a esta modalidade de arrendamento em relação à prática de Alojamento Local e ao mesmo tempo baixar a carga fiscal inerente ao pagamento de impostos.”

A JSD Albufeira disponibilizou as propostas que elaborou e que vão ser apresentadas seguidamente:

“1. Os contratos celebrados no Programa de Arrendamento Jovem Albufeira deverão ser celebrados a três partes, o jovem arrendatário, o proprietário do imóvel e o Município de Albufeira, de forma a salvaguardar os interesses de todas as partes envolvidas.”

“2. A criação de uma rede de imóveis disponíveis para o Programa de Arrendamento Jovem Albufeira, cujos proprietários desses imóveis sejam privados;”

“3. Da rede de imóveis criada, o proprietário que arrende o seu imóvel a um jovem até aos 35 anos, terá inicialmente uma renda teórica estipulada com base no valor de mercado do imóvel. Este será posteriormente arrendado ao jovem em questão num valor igual ou inferior a 33% do rendimento médio mensal. Segundo este regime de contrato anual, o proprietário obterá os seguintes benefícios fiscais:

  1. a) Isenção do pagamento do Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis (IMT);
  1. b) Isenção do pagamento Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI);”

“4. Em situação de transição, se o jovem arrendatário até aos 35 anos aumentar o seu rendimento médio mensal, de forma a que 1/3 deste corresponda à renda inicialmente estipulada para o imóvel (valor de mercado), estaremos perante dois cenários possíveis:

a) O proprietário sai do Programa de Arrendamento Jovem Albufeira e retira a sua casa da rede, deixando de ter os benefícios fiscais estipulados, celebrando um contrato apenas entre as duas partes (proprietário – arrendatário);

b) O proprietário mantem-se inserido no Programa de Arrendamento Jovem Albufeira e os seus imóveis inseridos na rede, celebrando um novo contrato com outro jovem que precise das condições especiais de arrendamento.”

Para a equipa da JSD Albufeira “este foi o resultado de um mês de trabalho a ouvir no terreno vários jovens, através do nosso programa Minuto Jovem e tal como havíamos prometido, demos voz aos nossos jovens Albufeirenses com a elaboração deste Programa de Arrendamento Jovem Albufeira, o que nos trás mais vontade de continuar a trabalhar, de contribuir com a apresentação de soluções e por fim de continuarmos a marcar a diferença sempre pela positiva na nossa cidade de Albufeira.”

O Presidente da JSD Albufeira, Alberto Matos, em nome de toda a equipa “agradece ao Executivo da Câmara Municipal de Albufeira e em especial à Vereadora com o pelouro da Habitação, Dra. Ana Pífaro, pelo acompanhamento, disponibilidade e aceitação do documento, que esperamos que dê um contributo efetivo nos projetos futuros da Câmara Municipal de Albufeira para a área da habitação jovem.”

Ler mais ...

CONTRATOS DE PROGRAMAS DE APOIO A REABILITAÇÃO URBANA FORAM ASSINADO

 

Os contratos relativos aos programas municipais de apoio à reabilitação urbana (Programa de Apoio à Melhoria das Condições de Habitabilidade - PAHAB e Programa de Apoio à Recuperação dos Jardins e Pátios Interiores - PARJPI) foram assinados no passado dia 03 de junho.

Estas importantes medidas de apoio financeiro criadas pelo Município de Silves vêm permitir a reabilitação de diversos edifícios e espaços. O PAHAB, por exemplo, possibilitará aos proprietários/as e arrendatários/as de prédios urbanos - com uso eminentemente habitacional, localizados na Área de Reabilitação Urbana de Silves (ARU de Silves) e que se candidataram a este programa, cumprindo os critérios de admissão (estão localizados na referida área; foram construídos antes de 1986; destinam, pelo menos, 2/3 das frações/unidades autónomas a uso habitacional, podendo as restantes estar afetas a outros usos; e, no caso de prédios com apenas uma fração, a mesma ser destinada a habitação própria) - a realização de obras de recuperação de edifícios, melhorando-se, desse modo, o tecido urbano e reabilitando património. Os beneficiários vão receber uma comparticipação não reembolsável, correspondente a uma fração do valor das obras orçamentadas e realizadas, num montante máximo de 20% do valor máximo de despesa elegível.

No caso do PARJPI, as intervenções ocorrerão nos jardins e pátios interiores também localizados na ARU de Silves, de forma a valorizar e promover o património natural e paisagístico da cidade. Neste caso, os proprietários deverão utilizar exclusivamente espécies endógenas (arbóreas e arbustivas) e garantir que os espaços intervencionados possam ficar acessíveis a visita. Novamente, os beneficiários usufruirão de uma comparticipação não reembolsável, correspondente a uma fração do valor das obras orçamentadas e realizadas, sendo a comparticipação do Município de Silves fixada em 20% do valor das obras realizadas, tendo como limite máximo, por intervenção, o montante de €500,00 (quinhentos euros).

«Queremos, com a criação deste tipo de incentivo, estimular a realização de obras de reabilitação do património existente e contribuir para a melhoria da qualidade de vida de quem habita no interior da ARU de Silves», afirmou na ocasião Rosa Palma, Presidente da Câmara Municipal de Silves e reforçou: «O nosso desejo é ter uma cidade viva, bonita e onde as pessoas queiram permanecer e, desse modo, estaremos também a melhorar a atratividade turística do nosso território, que já é tão especial e único. Por isso, pedimos a todos que passem palavra e que informem os vizinhos que abrirá um novo período de candidaturas no primeiro trimestre de 2020».

  • Publicado em Silves
Ler mais ...
Assinar este feed RSS
×

Sign up to keep in touch!

Be the first to hear about special offers and exclusive deals from TechNews and our partners.

Check out our Privacy Policy & Terms of use
You can unsubscribe from email list at any time