Dia: 16 de Jul

Itens filtrados por data: quinta, 04 julho 2019

Portimão reforça campanha de Reutilização de Manuais Escolares durante o verão

A Câmara Municipal de Portimão volta a aderir mais uma vez à campanha de recolha de manuais escolares com o objetivo de fomentar a reutilização dos mesmos por crianças e jovens estudantes. O mote “Dê um novo uso aos manuais escolares que já não utiliza” apela à participação da população para que durante os meses de julho a setembro adiram ao sentido de partilha e solidariedade social, diminuindo assim as despesas de aquisição destes manuais e estimulando as boas práticas de educação e promoção ambiental.

Neste sentido, a Biblioteca Municipal Manuel Teixeira Gomes, o Polo de Leitura de Alvor e o Polo de Leitura da Mexilhoeira Grande encontram-se a recolher livros escolares usados (a partir do ano letivo 2016/2019), para que sejam reutilizados por novos alunos, devendo os manuais ser entregues nos balcões de atendimento ao público destes locais.

A presente campanha tem como objetivo diminuir os custos de aquisição de manuais escolares por parte dos encarregados de educação que com este projeto irão ser ajudados a poupar dinheiro e recursos. Esta campanha não é só confinada no quadro de apoio aos alunos carenciados, mas também deverá ser encarada como uma questão de dever social, de economia e de ambiente que respeita a todos. Os manuais escolares serão disponibilizados para o público em geral (a partir de finais de julho), na Biblioteca Municipal Manuel Teixeira Gomes em Portimão.

No ano transato, o número de total de livros recebidos e partilhados nesta campanha atingiu os 4300 manuais.

A Biblioteca Municipal Manuel Teixeira Gomes abre portas de terça a sexta-feira entre as 09h30 e as 19h00, enquanto aos sábados funciona das 14h00 às 19h00. No mês de agosto o horário de abertura ao público da Biblioteca Municipal é de segunda a sexta-feira das 09h30 às 15h30. O Polo de Leitura de Alvor funciona das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00, sendo que aos sábados e domingos encontra-se encerrado. Durante o mês de julho, o Polo da Mexilhoeira Grande funciona às segundas, das 9h00 às 13h30 e das 14h00 às 15h30 e de quarta a sexta, das 14h00 às 17h00. No mês de agosto, o Polo da Mexilhoeira funciona às segundas, quartas e sextas, das 14h00 às 17h00. Aos sábados e domingos encontra-se encerrado.

As informações complementares poderão ser obtidas pelos seguintes contactos: telefone 282 480 470; email Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.; www.bmmtgomes.pt; https://www.facebook.com/BMMTGPortimao.

Ler mais ...

A Herdade do Freixo é o melhor noturismo do Alentejo

Há no Alentejo uma adega incrível, que impressiona pela arquitetura, pela beleza de cada detalhe, pelo enquadramento na natureza e no ecossistema. A Adega da Herdade do Freixo, não se vê à chegada, está subterrânea. É única no mundo e ali nascem grandes vinhos! E, agora, é também reconhecida como a melhor proposta de enoturismo no Alentejo.

Montemor-o-Novo recebeu a oitava edição de entrega dos Prémios Turismo do Alentejo e a quarta dos Prémios Turismo do Ribatejo, relativos ao ano de 2018. A iniciativa, que é promovida pela Entidade Regional de Turismo (ERT), distinguiu os melhores projetos de agentes públicos ou privados de dez categorias: Melhor Empreendimento Turístico, Melhor Turismo Rural, Melhor Alojamento Local, Melhor Animação Turística, Melhor Enoturismo, Melhor Evento, Melhor Evento de Gastronomia, Melhor Restaurante, Melhor Projeto Público e Melhor Tecnologia de Comunicação.  Em comunicado a ERT destacou que o objetivo na entrega destes prémios é “distinguir e divulgar a excelência e inovação da oferta que, de modo geral, tem contribuído para projetar e afirmar o território nos mercados nacional e internacional”.

Ao todo estiveram 114 projetos em apreciação para ambas regiões, Alentejo e Ribatejo, e a Herdade do Freixo foi a grande vencedora do prémio “Melhor Enoturismo” do Alentejo. Este produtor de vinhos, no Redondo, tem um projeto surpreendente, ousado e inovador, desenhado para perdurar no futuro, num total respeito pela natureza e pelo ecossistema envolvente, já merecedor de outras distinções nacionais e internacionais, como “Building of the Year” atribuída pelo site Arch Daily de NY em 2018.

Foi com grande alegria e emoção que a Herdade do Freixo, recebeu o prémio “Melhor Enoturismo” no Alentejo, agradecendo à ERT, a todos os produtores e parceiros na região, destacando o quanto esta distinção valoriza o empenho diário de toda a equipa em promover a região, seus vinhos e a surpreender os turistas, sublinhando ainda que este prémio contribui para unir ainda mais a família Herdade do Freixo na caminhada de celebração do vinho, da arte e da vida.

Quando se chega à Herdade do Freixo a respiração serena e o coração acalma. O verde das vinhas impera por entre tons floridos e os recortes da serra. Ouve-se o chilrear dos muitos pássaros que ali encontram a sua “casa”, sente-se a brisa, a natureza. Não há a tradicional azáfama de uma adega, não se vêm os materiais empilhados, os camiões... Não se vê sequer a adega! Sim, porque esta é subterrânea. Penetrando no solo, mesmo por baixo das vinhas, há um novo mundo vínico a descobrir. Desenhada por Frederico Valssassina, a Adega da Herdade do Freixo, é verdadeiramente única e impressionante. E quem lá chega, sente-o de imediato. Assim nascem os apaixonantes vinhos Family Collection 2015, Freixo Reserva tinto 2015, Freixo Reserva branco 2017 e os monocastas Freixo Alvarinho 2018, Sauvignon Blanc 2018 e Chardonnay 2018, que podem ser provados no programa de visitas à Herdade. 

Desde há três anos que a Herdade do Freixo recebe visitantes e tem vindo a desenvolver a oferta de serviços. “Reorganizámo-nos internamente para corresponder às expectativas de quem nos visita e atualmente disponibilizamos duas visitas diárias, de segunda a sábado, incluindo feriados, às 11h e às 15h00, além de se poderem marcar visitas adicionais para grupos, mediante a agenda de atividades da adega”, afirma Carolina Tomé, diretora de marketing e comercial.

O enoturismo um serviço já muito procurado na Herdade do Freixo, sendo recomendada a reserva prévia para garantir a disponibilidade da data desejada. E agora há uma nova oferta, altamente recomendada e irresistível: um charmoso piquenique, ao pôr-do-sol na planície alentejana, no Oásis das Azinheiras, rodeado pelas vinhas, com produtos regionais e os vinhos da Herdade do Freixo.

Poderia desejar melhor?

INFORMAÇÕES SOBRE ENOTURISMO DA HERDADE DO FREIXO

Horários de Visitas: 11H e 15H, de terça a sábado

Reservas com refeições e/ou tábua de enchidos com aviso prévio de 3 dias e 50% de pré-pagamento.

Encerrado aos domingos, no dia 24 dezembro e 1 de janeiro.

Idiomas possíveis param a visita: português e inglês

Horário da loja: das 9H às 17H, de segunda a sábado.

Em todas as visitas, recomenda-se confirmação de disponibilidade e marcação prévia.

A confirmação de visita tem de ser acompanhada dos seguintes dados: nome, número de pessoas, modalidade de visita, data e hora, contacto telefónico.

Mais detalhes e preços: por favor consulte o ficheiro enviado juntamente com este press release.

PARA MAIS INFORMAÇÕES SOBRE A HERDADE DO FREIXO:

Por favor consulte www.herdadedofreixo.pt e/ou contacte-nos

https://drive.google.com/open?id=1ygwU_VFMF51otNvVeZLwFn4TkOGbqrty

Ler mais ...

LARANJA ALGARVIA À MESA DOS TURISTAS

Turismo do Algarve, Direção Regional de Agricultura e Pescas, AlgarOrange e hoteleiros debatem futuro dos citrinos 

LARANJA ALGARVIA À MESA DOS TURISTAS

Os citrinos algarvios devem ser uma presença assídua à mesa dos turistas que escolhem o destino para férias. Quem o defende é o presidente da Região de Turismo do Algarve (RTA), que quer ainda uma maior integração da laranja na cadeia de valor regional.

Se um turista se sentar à mesa de um restaurante algarvio e pedir um sumo de laranja natural, deve ser servido com o fruto produzido na região, uma forma de valorizar este produto agroalimentar que ocupa uma área de plantação de 13 256 hectares no Algarve, na sua maioria em Silves, Tavira e Loulé.

«É importante que os nossos citrinos migrem para a oferta dos estabelecimentos de restauração e de hotelaria da região, sendo incluídos nas ementas turísticas», afirma o presidente da RTA, João Fernandes, no seguimento de uma reunião que juntou recentemente a entidade regional de turismo, a Direção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAP Algarve), a associação de operadores AlgarOrange e representantes da hotelaria para debater estratégias que façam dos citrinos o «cartão-de-visita» da região.

A medida está já contemplada numa candidatura apresentada pela AlgarOrange à linha de internacionalização do CRESC Algarve 2020. E apesar de a candidatura ainda aguardar aprovação, está a pôr em movimento potenciais parceiros e a fomentar a discussão em torno da abertura dos citrinos do Algarve também aos mercados externos.

Além do aumento do consumo e da comercialização dos citrinos dentro da própria região, a candidatura prevê assim que eles sejam igualmente vendidos em países como a Alemanha, a Espanha e o Canadá, mostrando ao mundo a qualidade destes produtos genuínos.

«Promover o aumento das exportações dos nossos citrinos é promover o aumento da visibilidade internacional da marca Algarve e das empresas da região. A laranja, em particular, é um produto local premium associado à identidade portuguesa. Se foram os portugueses que introduziram a laranja na Europa e se o nome Portugal é sinónimo de ‘laranja’ em muitos países (em árabe, romeno, grego ou turco, por exemplo, a palavra Portugal designa o fruto laranja), faz todo o sentido deixarmo- -nos conhecer lá fora por aquilo que no Algarve é ímpar», considera o presidente da RTA, João Fernandes.

Para o diretor da DRAP Algarve, Pedro Monteiro, «o aproveitamento de sinergias entre Turismo e Citricultura só pode ser uma estratégia win-win; ganha o primeiro em termos de diferenciação da oferta por se associar a uma produção regional de qualidade reconhecida e certificada, ganham os segundos por via da alavancagem induzida por uma marca e um setor com o peso e a notoriedade internacional do Turismo do Algarve», declara.

Os citrinos do Algarve foram o primeiro produto genuíno da região com Indicação Geográfica Protegida, obtida em 1994. Há mais de 15 mil hectares de citrinos plantados no Algarve, região que produz 340 mil toneladas por ano e que detém o título de principal produtora de citrinos do país.

«O Algarve representa 70% do total da produção nacional de laranja e deve assumir-se como o destino turístico mais ‘sumarento’ de Portugal», refere João Fernandes.

Já Pedro Monteiro espera que «esta iniciativa possa ser o pontapé de saída para outras que reforcem cada vez mais a interligação entre Turismo e a produção agroalimentar e das pescas no Algarve, em prol de um desenvolvimento económico e territorialmente mais equilibrado».

  • Publicado em Turismo
Ler mais ...
Assinar este feed RSS
×

Sign up to keep in touch!

Be the first to hear about special offers and exclusive deals from TechNews and our partners.

Check out our Privacy Policy & Terms of use
You can unsubscribe from email list at any time